GameXP 2019 – Ghost Recon: Breakpoint quer propor um novo patamar para a franquia

27 de julho de 2019
Autor: Junior Candido
GameXP 2019 - Ghost Recon: Breakpoint quer propor um novo patamar para a franquia

“Um novo game, com a mesma Engine”. Foi assim que Nicholas Beetlestone, produtor de Ghost Recon: Breakpoint, definiu o game, em conversa que aconteceu durante a GameXP 2019, no Rio de Janeiro. O produtor nos recebeu para conversarmos sobre as novidades que os fãs da franquia Ghost Recon poderão encontrar no novo game.

Beetlestone contou um pouco sobre as possibilidades que Wildlands proporcionou para Breakpoint, no sentido de expansão do game. Há a promessa de, com o passar do tempo, oferecer novas armas, novas missões, com a oferta de conteúdos extra chegando pelos próximos dois, três, ou, se possível, até quatro anos após a chegada do game.

Ele também nos explicou que Breakpoint será um novo game, com a mesma Engine. Isso significa que, embora o game seja uma atualização técnica de Wildlands, há a proposta de novidades. Há a promessa de novas maneiras de se lidar com as invasões, assim como novos inimigos, que terão um comportamento bem diferente do game anterior. Até pela simples razão de que, ao invés de guerrilheiros de um cartel, desta vez enfrentaremos soldados renegados, com altas capacidades de combate, técnicas e tática.

GameXP 2019 - Ghost Recon: Breakpoint quer propor um novo patamar para a franquia
Nicholas Beetlestone, produtor de Ghost Recon: Breakpoint

Hora do gameplay: cortando cercas e usando drones novamente

Conversa realizada, hora de jogar a demo disponível no evento. Na demonstração, jogamos uma breve missão, feita mais para demonstrar questões como movimentação, e visual. Com um grupo de quatro jogadores, tínhamos que invadir uma casa, limpar os inimigos, e encontrar uma mulher, que, isolada em um quarto, aguardava o resgate.

O game conta com muitos elementos de Wildlands. O drone está de volta, ajudando a analisar o ambiente e marcar os alvos. Assim como novidades, como a invasão de uma área cercada, podendo cortar o arame. A movimentação e o tiroteio, embora com a promessa de que será algo mais real, ainda segue o estilo de games como Assassin’s Creed. Com direito a descidas morro abaixo mais simplificadas, e um sistema de mira mais leve. Creio que Breakpoint será uma espécie, em gameplay, de meio termo entre Assassin’s Creed e The Division.

Não deu pra conferir se tais configurações poderão ser ajustadas no futuro. Mas acredito que o game poderá ofertar várias maneiras de se jogar. Tanto para jogadores mais casuais, quanto para aqueles que encararão o game em suas formas mais extremas. Apesar disso, quem gostou de Wildlands gostará muito de jogar Breakpoint.

A parte visual também promete bastante. A movimentação dos personagens acontece de maneira bem fluída. Seja andando, correndo, recarregando a arma, ou se escondendo, os personagens se movimentam de maneira bem real. Assim como os inimigos que, após a ampliação de know-how da Ubisoft com a série The Division, melhorou muito, também.

Ghost Recon: Breakpoint chega no dia 4 de outubro, para Playstation 4, Xbox One, e PC. O Google Stadia também receberá o game, em seu lançamento, em novembro de 2019.

Uma resposta para “GameXP 2019 – Ghost Recon: Breakpoint quer propor um novo patamar para a franquia”

  • 27 de julho de 2019 às 23:31 -

    Helinux

  • Fico na expectativa!

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *