Turma da Mônica lança série de gibis que trata de educação financeira para crianças

15 de maio de 2018
Autor: Junior Candido

Turma da Mônica lança série de gibis que trata de educação financeira para crianças

Desde a década de 70, a Turma da Mônica vem participando de várias causas sociais, com os personagens de Mauricio de Sousa conversando com as crianças em HQs gratuitas sobre diversidade, saúde, câncer, e vários outros assuntos. Com uma parceria entre a MSP e a cooperativa Sicredi, que juntos, anunciaram ontem (14), uma série de gibis que vai conversar com as crianças sobre educação financeira.

A razão para falar deste tema com o público infantil é explicada por uma pesquisa. De acordo com o SPC e a Confederação Nacional de Dirigentes de Lojistas (CNDL), 44% dos brasileiros conversam sobre dinheiro com seus familiares. E destes, 39% só começam a falar deste assunto quanto a situação financeira não está boa. A mesma pesquisa diz também que 58% dos brasileiros não gostam de dedicar tempo para cuidar do próprio dinheiro. Mas, estudos também apontam que, quanto mais cedo se fala de dinheiro, mais cedo a criança pode se tornar um adulto com consciência em seus hábitos de consumo. Foi neste cenário que a parceria foi firmada.

A série terá seis edições de HQs, e terá como guia o Caderno de Educação Financeira e Gestão de Finanças Pessoais do Banco Central, obviamente adaptadas para uma linguagem de fácil acesso para as crianças. Na coletiva de apresentação, Mauricio celebrou o rico e grande acervo de gibis envolvendo causas sociais e a sua turminha, e explicou que ele mesmo, quando criança, teve grande apoio e incentivo neste tema com sua avó, que fez uma caderneta de poupança e o ensinava a guardar dinheiro. Dinheiro este que era usado para comprar HQs na banca, para que ele pudesse treinar o desenho, para seguir em seu sonho de ser um quadrinista de sucesso.

Com os temas “Nossa Relação com o Dinheiro”, “Orçamento Pessoal ou Familiar”, “Uso do Crédito e Administração das Dívidas”, “Consumo Planejado e Consciente”, “Poupança e Investimento”, e “Prevenção e Proteção”, três edicões serão lançadas em 2018, e mais três em 2019. O alvo com estes gibis é a de lidar com hábitos cotidianos, como fazer escolhas com o dinheiro, lidando com a razão e a emoção, desejo e necessidade, assim, levando o leitor ao conhecimento através de dimensões culturais, sociais e psicológicas.

Aprendendo a poupar e que “dinheiro não dá em caixa eletrônico”

Turma da Mônica lança série de gibis que trata de educação financeira para crianças

Com a participação conjunta de MSP e Sicredi, a primeira historinha mostra os personagens da Turma da Mônica, que acabaram de receber a mesada e já partem para a gastança, quando dão de encontro com uma mulher, secretária de uma oficina, que oferece dicas e conselhos sobre como guardar dinheiro, não gastando tudo o que ganham. Falando diretamente com os pequenos, a historinha ilustra casos corriqueiros de hábitos consumistas, que podem ser canalizados de uma forma na qual elas consigam entender o valor das coisas, e que seus pais precisam também lidar com questões como contas de gás, luz ou telefone.

Mauricio explicou na coletiva que, através de pesquisa, ele sabe que um gibi comprado na banca, passa na mão de, no mínimo, quatro pessoas. Isso significa que, além de falar diretamente com as crianças, o intuito do material é a de gerar conversas dos pequenos com seus pais, para que todos possam aprender a lidar melhor com o dinheiro que ganham. Tanto é que a historinha traz exemplos práticos sobre a compra consciente e o consumo desenfreado, e os problemas que comprar sem pensar podem trazer no futuro.

Como de costume, a história consegue, de maneira bem direta, explicar seu conteúdo de uma maneira bem simples, e que toca direto no assunto, sem muitos rodeios. Em apenas 26 páginas, já é possível absorver o conteúdo, e, gerar em quem lê, independente da idade, uma reflexão sobre seus hábitos de consumo e de como está lidando com o seu dinheiro.

Responsabilidade Social e a Turma da Mônica Jovem

Turma da Mônica lança série de gibis que trata de educação financeira para crianças

Durante a apresentação, foi exibido um vídeo institucional, mostrando as muitas aparições da turminha em causas sociais, que inclui “Prazer, eu sou a água”, junto a SABESP, o “Turma da Mônica e o Orelhão”, de 1988, e “Educação no Trânsito Não tem Idade”, de 1996, entre outros. Além disso, não é a primeira vez que a Turma da Mônica fala sobre consumo responsável, já que em 2013, histórias focadas neste tema foram distribuídas através de parceria da MSP com o SPC.

Após a coletiva, conversei com o Mauricio de Sousa sobre este assunto, e também sobre possíveis trabalhos futuros com a Turma da Mônica Jovem, uma vez que este material poderia facilmente ser adaptado para os adolescentes. Mauricio explicou que, para a Turma Jovem, estão reservados assuntos mais direcionados para a idade, e também mais complexos. Um exemplo é o “Na Prevenção do Uso de Álcool e Outras Drogas” e “Na Prevenção do Uso de Crack e Outras Drogas”, de 2012, que traz os personagens adolescentes abordando o tema (lembrando que a turminha também já falou deste tema, com uma história que contou com a participação de Ronaldinho Gaúcho).

Mauricio também comentou que, o papel da sua Turma é fundamental nestes projetos, uma vez que eles são figuras que transparecem simpatia e carisma, podendo levar informações de vários temas de maneira lúdica e prazerosa, sendo este material apresentado a elas de uma maneira direta, sem trazer nenhuma estranheza, seja no vocabulário, ou no contexto. O primeiro gibi da série estará disponível gratuitamente nas agências do Sicredi, e terá a tiragem de dez milhões de exemplares. E também há a intenção de realizar parcerias com prefeituras e levar o material para as escolas municipais.

Uma resposta para “Turma da Mônica lança série de gibis que trata de educação financeira para crianças”

  • 16 de maio de 2018 às 13:16 -

    Pedro Loko

  • Da hora tbm a responsabilidade social que a Mônica terá na nova versão que falará bem dos militares. Um órgão institucional do governo e que deve ser respeitado desde que respeite a soberania do país? Ok, blza, aí tudo bem. Mas num momento ondem ficam ameaçando dar golpe militar novamente, é mó falcatrua. Depois Maurício de Souza dizia que seu quadrinho é neutro e sem ideologia, vai se lascar. Ele é um tosco que sempre estragou os artistas independentes e suprimiu o mercado só pra ele, até a Marvel é mais democrática valorizando o traço e o nome de artistas diferentes.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *