F1 2019 – Ajustando pra curtir o GP dos EUA, em prova vencida por Bottas

3 de novembro de 2019
Autor: Junior Candido
F1 2019 - Ajustando pra curtir o GP dos EUA, em prova vencida por Bottas

O fim da temporada da F1 está chegando. E, com ela, uma das corridas que mais buscam chamar a atenção. O GP dos EUA, além da festa tradicional que o povo de lá gosta de fazer, também é um resgate do respeito da F1, em um território no qual predominam os ovais, a Indy, e a NASCAR.

O Circuito das Américas, em Austin, representa uma nova fase para a Fórmula 1. Após o fiasco do GP dos EUA de 2005, com o famoso episódio dos apenas seis carros que correram, devido a problemas com a Michelin e todas as outras equipes que usavam seus pneus, que gerou revolta e vaias do público, acreditava-se que nunca mais haveria Grandes Prêmios no país.

Mas, o interesse de investidores levaram à construção do Circuito das Américas, o primeiro construído nos EUA com foco na F1. O sucesso foi tanto, que a pista recebe outras categorias “europeias” atualmente, como a Moto GP, e o Mundial de Endurance da FIA.

A pista, com curvas rápidas, e suas subidas e descidas, é única na Fórmula 1 atual. O primeiro setor, com uma primeira curva bem fechada, e uma área de aceleração com curvas velozes, exige muita atenção. Com o segundo setor oferecendo mais retas, a pista, como um todo, foi projetada por Hermann Tilke, que já fez outros circuitos da F1 pelo mundo, mas tem a participação do piloto de MotoGP Kevin Schwantz, campeão em 1993, e que garantiu uma agressividade maior no traçado, em comparação a outros circuitos modernos.

F1 2019 - Ajustando pra curtir o GP dos EUA, em prova vencida por Bottas

Dito isso, pra configurar o seu carro, é possível explorar pontos chave da pista, para aproveitar melhor cada segundo, seja nas partes retas, ou no primeiro setor e suas muitas curvas. Configurações que ajuda a economizar pneu também são bem vindas, uma vez que o traçado exige muito deles, somado ao calor da cidade texana.

A nossa ideia de configuração oferece uma tentativa de equilíbrio para a pista. Tem uma boa ajuda para as curvas do primeiro e terceiro setores, mas com a oportunidade de ganhar mais velocidade nas retas. Como sempre, fica com você a oportunidade de “desequilibrar” a balança, a seu favor. Se quiser mais velocidade nas retas, ou melhorar ainda mais a aderência nas curvas, é só fazer os testes.

Veja, então, a configuração sugerida para correr no Circuito das Américas:

  • Asa dianteira: 4
  • Asa traseira: 9
  • Diferencial aceleração ativa: 65%
  • Diferencial aceleração inativa: 100%
  • Cambagem dianteira: -2.50
  • Cambagem traseira: -1.00
  • Toe dianteiro: 0.05
  • Toe traseiro: 0.20
  • Suspensão dianteira: 6
  • Suspensão traseira: 5
  • Barra estabilizadora dianteira: 7
  • Barra estabilizadora traseira: 5
  • Altura frontal: 4
  • Altura traseira: 5
  • Pressão do freio: 90%
  • Balanceamento dos freios dianteiros: 54%
  • Pressão nos pneus dianteiros: 22.6 psi
  • Pressão nos pneus traseiros: 20.7 psi

Bottas vence uma boa corrida, que garantiu o hexacampeonato a Lewis Hamilton

F1 2019 - Ajustando pra curtir o GP dos EUA, em prova vencida por Bottas

Hamilton, que precisava fazer apenas quatro pontos para ser campeão, largou com sede de vitória. Ganhou a posição de Leclerc na largada, e logo em seguida ultrapassou Vettel, assumindo o terceiro lugar. Vettel, que seguiu perdendo posições, foi ultrapassado por Lando Norris e Ricciardo. O piloto da Ferrari reclamou de alguma avaria no carro. Raikonnen fez também uma largada excelente, ganhando seis posições.

Vettel, que buscava se recuperar na corrida, perdeu a suspensão e abandonou na volta 9. Ricciardo seguiu fazendo com sua Renault uma ótima corrida, passando Norris e assumindo a quinta posição. Hamilton, querendo ser campeão ganhando, começou a perseguir Verstappen, chegando na “zona de abertura de asa” na volta 13. Mas não houve briga, pois nesta mesma volta o piloto da Red Bull parou antes de todo mundo para colocar pneus brancos, duros, buscando, assim, fazer uma parada só.

Uma volta depois, foi a vez da Mercedes. Bottas também parou antes da hora e colocou os mesmos pneus brancos. Com pneus novos, chegou novamente perto de Leclerc e assumiu a segunda posição sem dificuldades. Verstappen, nas mesmas condições, passou também o piloto da Ferrari um pouco depois. Na volta 20, Kimi Raikkonen, com pneus novos e ainda fazendo uma excelente prova, passou Magnussen, que mostrava uma Haas terrível de ser guiada, perdendo tração a todo momento.

Na volta 21, novo problema de pit-stops com a Ferrari, com Leclerc perdendo sete segundos por causa de problemas com a equipe. Enquanto isso, Sergio Pérez, que havia largado dos boxes, ainda sem trocar pneu, era sexto, com sua Racing Point. Na volta 24, hora de Hamilton ser chamado aos boxes, mas mandou um “agora não”. Com pneu inferior ele, chegou a tirar o pé para Bottas passar. E na volta seguinte, hora da parada do piloto britânico, que foi de pneu branco também, tentando a única parada.

A segunda parada de Verstappen, na volta 35, deu a Hamilton o segundo lugar. Bottas também fez a sua parada, na volta 36 e deu para a corrida um ar interessante. Hamilton, agora líder, seguiu com pneus brancos, enquanto o segundo e terceiro colocados, estavam com pneus amarelos, prontos para, possivelmente, tirarem tempo do líder. Verstappen sabia que poderia chegar e tentar até a vitória.

Quem chegou primeiro foi Bottas, que, a seis voltas do final, chegou em Hamilton, com menos de um segundo de diferença. Houve uma briga interessante na volta 51, com o piloto finlandês usando a área de escape, pois o britânico não deu espaço. Na volta seguinte, a quatro voltas do fim, Bottas assumiu a liderança. A duas voltas do fim, chegou Verstappen. Chegou, mas não passou, com Hamilton sendo hexacampeão com o segundo lugar.

Corridas impressionantes de Pérez, que saiu dos boxes e terminou em nono. Ricciardo, que com a sua problemática Renault, conseguiu chegar em sexto. Albon, que continua demonstrando “não sentir” sua Red Bull, chegou em quinto. E a Haas, mesmo em casa, seguiu decepcionando. Magnussen abandonou no final, e Grosjean chegou em décimo sexto.

A Mercedes é campeã do mundial dos construtores, e Lewis Hamilton é hexacampeão mundial. Bottas garantiu o vice-campeonato e agora resta para Leclerc, Verstappen e Vettel a briga pelo terceiro lugar do mundial. Para as equipes, resta para a McLaren confirmar no Brasil o quarto lugar no mundial de construtores, e garantir o título simbólico de “melhor do resto”.

A Fórmula 1 volta no dia 17 de novembro, no Brasil, em Interlagos.

Uma resposta para “F1 2019 – Ajustando pra curtir o GP dos EUA, em prova vencida por Bottas”

  • 4 de novembro de 2019 às 22:55 -

    Helinux

  • Não sei porque as vezes acho que corrida de F1 no EUA não tem cara de corrida de F1… ¨O GP dos EUA, além da festa tradicional que o povo de lá gosta de fazer, também é um resgate do respeito da F1, em um território no qual predominam os ovais, a Indy, e a NASCAR.¨
    Corrida cheio de desafios, sol quente e com cara de que já acabou o ano…vitória de bottas com campeonato ganho por Hamilton. Espectativa para o ano que vem com mais dinamismo e ecletismo em termos de pódio. valeu!!!!

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *