Análise Arkade: matando zumbis nazistas em Zombie Army 4: Dead War

8 de fevereiro de 2020
Autor: Rodrigo Pscheidt
Análise Arkade: matando zumbis nazistas em Zombie Army 4: Dead War

Os nazistas voltaram… do túmulo! Zombie Army 4 traz um exército de mortos-vivos alemães querendo conquistar o planeta, e nós somos a resistência para impedir o avanço destas tropas infernais! Aqui está nossa análise do recém-lançado Zombie Army 4: Dead War!

Matança de Zumbis

A história de Zombie Army 4 é tão absurda quanto conveniente para fazer esta maluquice funcionar. Basicamente, Adolf Hitler, antevendo sua derrota, decidiu trazer suas tropas de volta do mundo dos mortos para uma última ofensiva.

O ritual deu certo até demais: mesmo após a derrota, as tropas de zumbis nazistas continuam surgindo, e o volume de desmortos segue sendo um risco para a humanidade. Por conta disso, uma força-tarefa é criada, com o intuito de impedir o avanço dos comedores de cérebro.

Análise Arkade: matando zumbis nazistas em Zombie Army 4: Dead War

E é isso: temos um punhado de soldados para escolher — incluindo o veterano Karl Fairburne, protagonista da série Sniper Elite (da qual Zombie Army é um spin off) — cada um trazendo algumas leves peculiaridades que nem chegam a ser classes, apenas atributos de resistência e velocidade –, uma legião de zumbis para matar… e um monte de missões genéricas para cumprir.

Ação frenética… mas genérica

Zombie Army 4 é o tipo de jogo cooperativo que a gente já viu diversas vezes por aí. Até 4 jogadores se reúnem online para trucidar hordas de zumbis utilizando uma boa variedade de armas de fogo, bombas e ataques melee.

Análise Arkade: matando zumbis nazistas em Zombie Army 4: Dead War
Prepare-se para sentar o dedo em milhares de zumbis

Só para ficar no nicho “jogos de zumbi”, já vimos isso antes em Left 4 Dead, World War Z, Dead Island, State of Decay e até nos conteúdos extras de Call of Duty — e isso só para mencionar os mais famosos. Temos level ups e uns perks de armas aqui que dão um gostinho extra, mas no geral a receita é a mesma.

Confira um pouco de gameplay abaixo para ter uma noção do que te espera:

Sejamos sinceros: todo mundo meio que já sabe o que esperar deste jogo, não é? A campanha é dividida em capítulos, e cada um deles subdivide-se em partes menores, que começam e terminam em safehouses. Nosso objetivo é chegar ao próximo lugar seguro, eliminando incontáveis zumbis no processo e cumprindo missões bem pouco criativas através de paisagens europeias destruídas.

Na parte das “missões pouco criativas” entram coisas tipo “conserte um gerador”, “recupere um equipamento” ou “restabeleça a energia”. E, como um bom jogo de zumbis, aqui há muitos momentos de horda, naquele esquema “sobreviva até algo importante acontecer”.

Análise Arkade: matando zumbis nazistas em Zombie Army 4: Dead War

Ainda que eu não ache esse tipo de missão particularmente interessante, eu costumo relevar quando um jogo faz isso uma vez ou outra. Mas aqui repetição é a palavra-chave, e a longa duração da campanha só evidencia o quão repetitivos são estes objetivos.

Então, ainda que mecanicamente o jogo funcione bem — atirar é agradável, e a balística herdada de Sniper Elite permite uns tiros de sniper bem bonitos, com direito a kill cams e tudo –, o quanto de diversão você vai extrair do jogo depende de quanta paciência você tem para cumprir objetivos genéricos de novo e de novo, aniquilando mais e mais zumbis no caminho (que incluem diferente classes, como o zumbi que cospe gosma verde, o zumbi de armadura, o zumbi com lança-chamas, etc.)

Como em outros jogos do tipo, a melhor forma de cumprir estas missões genéricas é ao lado dos amigos. Recebemos um par de códigos, mas um time completo é feito de 4 players, e reunir os amigos online para pipocar uns zumbis batendo papo sem dúvida é bem mais legal do que fazer isso sozinho (ou com desconhecidos).

Análise Arkade: matando zumbis nazistas em Zombie Army 4: Dead War
Aqui também é possível segurar a respiração para caprichar no tiro.

Então, que fique claro: jogar Zombie Army 4: Dead War é bem legal. O jogo funciona, diverte, entretém. Porém, ele cai na mesmice bem rápido. Eu gostaria de um pouco mais de variedade de missões e objetivos para deixar a campanha mais variada e dinâmica. A fórmula dele nunca muda, e ainda que tenha alguns bons momentos (especialmente batalhas contra chefes), no geral a campanha é uma reciclagem de situações em diferentes cenários.

Audiovisual

Em termos de visual, Zombie Army 4: Dead War entrega o esperado para um shooter contemporâneo. Rodando na mesma engine da série Sniper Elite (a Unreal Engine), o game traz bons modelos de personagens, e o jogo enche a tela de zumbis sem sofrer muito com o desempenho (rodei no PS4 Pro).

Análise Arkade: matando zumbis nazistas em Zombie Army 4: Dead War

Falta um pouco de variedade nos modelos dos zumbis, e a paleta de cores é um tanto limitada — mas né, estamos falando de um jogo que, por mais que viaje, trata de um mundo devastado pela Segunda Guerra. Curiosamente, a própria Rebellion já entregou um jogo semelhante (tiroteio cooperativo) que é bem mais interessante em termos de direção de arte: Strange Brigade.

Para não ser injusto, é louvável o trabalho da Rebellion em povoar o mundo do game com easter eggs e homenagens a algumas obras célebres de terror e suspense. Do balão do Pennywise à uma versão zumbi da Monalisa, o jogo capricha nas referências, e os cartazes estilo filme B que iniciam cada capítulo sem dúvida são bem legais.

Análise Arkade: matando zumbis nazistas em Zombie Army 4: Dead War
Impossível não reconhecer essa parede

No departamento sonoro, o jogo também cumpre seu papel, sem necessariamente se destacar: temos bons sons de tiros, explosões e gritos, com pouca música aqui e ali. O jogo foi parcialmente localizado: não temos dublagens em português — nem pérolas como o “mamãe galinha” de Sniper Elite 4 — , mas todos os menus e legendas estão em PT-BR.

Conclusão

Pelo tom desta análise, pode parecer que eu não gostei de Zombie Army 4: Dead War, mas isso não é bem verdade. Eu gostei do jogo… nas primeiras horas. Aí ele acabou se alongando por tempo demais, com missões genéricas demais e repetição demais. O que era divertido logo se tornou entediante.

Análise Arkade: matando zumbis nazistas em Zombie Army 4: Dead War

Apesar disso, eu sei que meter tiros em zumbis (nazistas!) é algo que sempre tem seu apelo, então, se você está busca de um bom jogo para reunir os amigos online e curtir batendo papo (enquanto estoura uns miolos podres), sem dúvida tem material de sobra por aqui. Só não espere que o jogo vá muito além do básico.

Zombie Army 4: Dead War foi lançado em 4 de fevereiro, e está disponível para PC, Playstation 4 e Xbox One.

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *