Mortal Kombat 11 Ultimate: uma rápida análise dos personagens novos

19 de novembro de 2020
Autor: Paulo Roberto Montanaro
Mortal Kombat 11 Ultimate: uma rápida análise dos personagens novos

Não é novidade para você, caro leitor do Arkade, que temos elogiado as muitas qualidades de Mortal Kombat 11 desde que ele foi apresentado ao mundo. A nossa análise, publicada há um ano e meio, já destacava o refinamento do gameplay e das mecânicas de combate, o espetáculo visual, um sistema de customização ainda mais sofisticado do que o presente em Injustice 2 e a manutenção de um formato narrativo que se tornara uma marca registrada da franquia — e dos jogos da NetherRealm — nas últimas versões.

Também elogiamos os complementos trazidos pela atualização Aftermath em maio deste ano e nos dedicamos bastante a falar sobre o modo NetherRealm de se contar histórias em jogos de luta em nosso texto da sessão Depois do Fim. Não por acaso, o jogo esteve dentre nossos eleitos nos Melhores do Ano de 2019 e o acompanhamos a cada novidade.

Mortal Kombat 11 Ultimate: uma rápida análise dos personagens novos

A versão Ultimate do jogo, anunciada nesse segundo semestre e já disponível tanto para a geração atual quanto para Playstation 5 e XBox Series S|X desde o dia 17 de novembro é, portanto, uma continuação da estratégia de suporte ao game por um período bem mais longo que os anteriores, principalmente quando se trata de elenco. Com personagens sendo lançados com frequência, campeonatos e eventos constantes, o jogo tem conquistado seu espaço como um dos mais importantes na história da franquia, praticamente um dos games obrigatórios para todo fã de jogos de luta.

Se formos comparar a lista original de lutadores e as adições atuais, não há dúvida que o jogo ganhou robustez, diversidade e muitas opções para os fãs, sejam eles os mais casuais, sejam os veteranos de longa data, e sejam também aqueles mais dedicados a carreiras longevas pelos torneios e modos online. Confira a composição atual, com 37 lutadores e lutadoras (12 dos quais são DLCs lançados posteriormente e Shao Kahn, como DLC de pré-compra).

Mortal Kombat 11 Ultimate: uma rápida análise dos personagens novos

Os novos personagens, alardeados nos últimos tempos, trouxeram, cada um à sua maneira, novidades para o jogo. O mais inesperado deles, Rambo, da tradicional franquia dos cinemas, é talvez o que mais tenha causado dúvidas e até questionamentos por parte da comunidade. Ou não, visto que ele chega pra fazer companhia ao Exterminador do Futuro (ou Terminator para os mais puristas), Robocop e Spawn como personagens de sucessos de ação do fim do século passado, que parece ser “o tema” para essas participações especiais em MK11.

Como em qualquer anúncio de participações especiais, sempre há a dúvida se o game precisa ter alguém que não faz parte da lore oficial da franquia e se ele estaria ocupando o lugar de outro personagem que ficou esquecido. Seja qual for a sua opinião sobre isso, a minha grande dúvida era se ele traria algo que já não estivesse contemplado em outros soldados presentes no game. E a resposta é SIM.

Mortal Kombat 11 Ultimate: uma rápida análise dos personagens novos

Ok, ele usa arco-e-flecha, armas de fogo, explosivos, combate com facas, armadilhas com cordas, e se você joga Mortal Kombat 11 sabe que há um tanto de outros personagens que se apropriam dessas ferramentas. Mas felizmente, há um cuidado para que Rambo não seja só uma skin que mistura mecânicas de Nightwolf, Jax, Robocop e Kano.

A postura com a faca, o sistema de golpes no modo sorrateiro e uma percepção de mais peso, de um brutamontes com habilidades mortais é diferente e consegue se destacar. Além do que, a dublagem em português ter trazido a voz tradicional atribuída a Stallone, dá um charme especial a essa versão.

Mortal Kombat 11 Ultimate: uma rápida análise dos personagens novos

Rain, por sua vez, tem uma carreira bastante tímida em termos de relevância para a trama principal e também na preferência do público. Começou sua carreira na franquia sendo só mais uma cor dentre os ninjas, compondo uma segunda divisão junto com Ermac, emprestando golpes de raio de Raiden e com alguns ataques de água.

Com o desenvolvimento da trama da franquia, cada ninja “genérico” ganhou mais individualidade, se descolou de vez de outros personagens e o final da torre dele talvez seja o que melhor dialoga com o contexto geral de onde está a trama novelesca do game nesse momento. Com ataques rápidos e um belo controle de território, Rain oferece uma jogabilidade mais equilibrada entre o combate corpo-a-corpo e o zoning.

Mortal Kombat 11 Ultimate: uma rápida análise dos personagens novos

Não restam dúvidas, todavia, de que a grande estrela do trio é Mileena, uma das personagens favoritas de todo fã do game e uma verdadeira dor de cabeça para Ed Boon, que recebia intermináveis mensagens perguntando se (equando) ela entraria no jogo. Segundo ele, a vilã estava sendo guardada para esse momento, mas eu ousaria dizer que a presença dela é muito mais um “atendendo a pedidos” do que qualquer outra coisa.

Afinal, Mortal Kombat 11 é — e sei que esta é uma afirmação controversa — o melhor Mortal Kombat lançado até hoje, e sem a favorita sempre sobraria um asterisco, uma nota de rodapé. Seria um “é ótimo, mas… não tem Mileena. Bem, agora tem. E a espera valeu a pena. Afinal, os DLCs no geral são muito interessantes, alguns foram muito bem acomodados na narrativa complementar de Aftermath e dão corpo ao jogo.

Mortal Kombat 11 Ultimate: uma rápida análise dos personagens novos

Os convidados — memes diriam que é praticamente uma versão de Smash Bros da Tela Quente — sempre agregam visibilidade e possibilitam encontros que todo moleque que cresceu nos anos 1990 ficava imaginando (“cara, imagina se o Rambo encontra o Exterminador do Futuro), mas nenhum deles seria indispensável. E alguns dias jogando com Mileena foram suficientes para me fazer esquecer de vários dos originais, colocando-a mais uma vez como uma das favoritas tanto para diversão single player como também para jogatinas online.

Se havia alguém preocupado que Kitana tinha herdado (ou talvez roubado) os principais movimentos de sua irmã-clone-do-mal, as notícias são também positivas. Com uma lista de golpes especiais facilmente reconhecíveis e combos que priorizam a agilidade, é uma personagem que consegue controlar bem o campo de batalha. Visualmente, tem um foco ainda maior no grotesco e exibe algum DNA para além do tartakano e do edeniano. Uma personagem completa, com fluidez, e para quem gosta de estudar cada movimento e cada combinação para combos, um prato cheio.

Mortal Kombat 11 Ultimate: uma rápida análise dos personagens novos

Como conjunto, os três novos personagens podem parecer pouco na comparação com o todo, mas certamente agregam muito valor ao já bem estabelecido Mortal Kombat 11. A versão Ultimate do game traz ainda muito mais coisas, quase todas focadas nas melhorias para a nova geração, e nos próximos dias, traremos um olhar mais dedicado ao conjunto da obra rodando em 4K dinâmico e tudo mais o que foi prometido, no Playstation 5. Não perca!

Mortal Kombat 11: Ultimate, como já adiantado, está disponível desde o dia 17 de novembro para todas as plataformas onde o jogo original foi lançado (Playstation 4, XBox One, Nintendo Switch e PC) e debuta também nos consoles de nova geração, o Playstation 5 e os XBox Series S|X. O jogo e seus complementos estão totalmente localizados para o português brasileiro.

Uma resposta para “Mortal Kombat 11 Ultimate: uma rápida análise dos personagens novos”

  • 20 de novembro de 2020 às 00:07 -

    Helinux

  • Essa tela menu de escolha dos personagens é uma tentação mesmo…dukralho, show de analise!!!! valeu!!!!

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *