Red Faction Guerrilla Re-Mars-tered é um bom companheiro no modo portátil do Switch.

17 de julho de 2019
Autor: Junior Candido
Red Faction Guerrilla Re-Mars-tered é um bom companheiro no modo portátil do Switch.

Com o remaster que chegou no ano passado, Red Faction Guerrilha Re-Mars-tered foi uma boa opção para quem sentia saudade do game. Agora, mais pessoas poderão conhecer, ou jogar novamente o game, com o port para o Switch. Como todos sabemos, o console da Nintendo tem recebido ports muito interessantes nos últimos tempos.

Podemos citar aqui Mortal Kombat 11, Darksiders, e o The Witcher 3 que, mesmo sem ter sido lançado, já agrada com o que foi exibido. Para o remaster, mais uma vez, temos as questões técnicas e gráficas sendo consideradas além do game em si. O jogo, é praticamente o mesmo que já saiu, no ano passado. A remasterização de um game de 2009, que, mesmo com cara de datado, garantiu boa diversão para quem jogou.

Considerando o Switch, e seu poder de processamento, em comparação a Playstation 4, Xbox One, e computadores, podemos dizer que temos em mãos uma versão bem interessante. Como o console se comporta como um aparelho que fica entre a geração passada, e a atual, foi possível sim aproveitar os novos elementos visuais, garantindo texturas, efeitos e toda aquela aura marciana do game, com boa qualidade.

Qualidade ou desempenho? Você decide!

Red Faction Guerrilla Re-Mars-tered é um bom companheiro no modo portátil do Switch.

Para ambas as preferências, é possível, aqui também, escolher entre desempenho e qualidade. A escolha pelo desempenho garante taxa de FPS desbloqueada, e resolução dinâmica, que vai entre 792p a 900p com o console no Dock, e 360p-576p no modo portátil. Já o modo de qualidade, garante melhores efeitos, mas limita os quadros a 30FPS. Mas, para decidir, das duas maneiras e escolha a que mais lhe agradar.

Estas configurações, inclusive, fazem do game um ótimo companheiro portátil. Além do próprio game em si, que tem uma estrutura de gameplay fácil e rápida, ótima para jogos neste estilo, o game, no modo portátil, flui de maneira bem agradável, e com as suas configurações, especialmente no modo de qualidade, roda de maneira bem adequada.

Red Faction Guerrilla Re-Mars-tered é um bom companheiro no modo portátil do Switch.

Já com o Switch conectado, a impressão é bem diferente. É quase que obrigatório jogar o game no modo desempenho, para que ele não “se atrapalhe” no processo. Isso até nos faz pensar se, os próximos games que forem adaptados para o console. Como o próprio The Witcher 3, também terá estes mesmos problemas.

Aparentemente, devido às configurações específicas do Switch como portátil. E talvez, por terem ciência, de algum modo, de que a maioria dos jogadores em potencial o jogam apenas desta forma (e considerando o vindouro Switch Lite). Tenho a impressão de que os games, sejam remasterizações, ou adaptações, foquem com prioridade no modo portátil.

Assim, com uma tela menor, com resolução menor, e com maior potencial, o game entrega um gameplay satisfatório. Mas, independente de como você preferir jogar, Red Faction Guerrilla Re-Mars-tered segue sendo uma opção interessante de gameplay. Ele segue datado, como falei no ano passado. Entretanto, é muito divertido, e não é todo dia que você acompanha aventuras em Marte, não é mesmo?

Deixar um comentário (ver regras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *